Destaques

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

O Brasil da Copa é "Campeão Mundial de Homicídios"

Enquanto Brasil afora se discute - ou, a depender, se faz silêncio- sobre quem é mais, quem é menos, quem é ou quem deixa de ser corrupto, uma outra tragédia se impõe. Com um número bem redondo, essa tragédia se torna ainda mais concreta, embora ela já seja parte do cotidiano dos brasileiros. O número redondo brota do Mapa da Violência divulgado pelo Instituto Sangari; esse número que vimos há pouco: nos últimos 30 anos,1 milhão de brasileiros foram vítimas de homicídio. 
Em 1980, 13 mil e 900 brasileiros foram assassinados por todo o país. No ano passado, 49 mil e 900 pessoas foram mortas no Brasil. Em três décadas, um salto de 259 por cento nessa macabra estatística. A taxa de homicídios pulou de 11,7 em cada 100 mil habitantes, no início dos anos 80, para 26,2 mortos a cada 100 mil habitantes nos dias de hoje.
Para se ter uma idéia das dimensões dessa tragédia: o Instituto Sangari rastreou e comparou o número de mortos em guerras pelo mundo com o número de assassinatos no Brasil. 
Entre 2004 e 2007, 169 mil e 500 pessoas morreram nos 12 maiores conflitos armados pelo mundo. No Brasil, nesse mesmo período,192 mil e 800 pessoas foram assassinadas. Ou seja, os brasileiros, entre si, mataram 23 mil e 300 humanos a mais do que 12 conflitos armados em todo o mundo. 
O Brasil é "Campeão Mundial de Homicídios" poderiam bradar nossos locutores. Reconheçamos que isso é uma Guerra Civil não declarada.
Para se ter uma outra idéia do que isso significa: em 16 anos da terrível Guerra do Vietnã, os Estados Unidos perderam 49 mil soldados. Exatamente o mesmo número de assassinados em nosso país apenas no ano de 2010.
Some-se a isso um outro morticínio: o Brasil é o 5º país que mais mata no trânsito.O último número divulgado pela Organização Mundial de Saúde apontava 35 mil mortos por ano. Esse era o número de 2007.
Apenas para efeito de raciocínio sobre essa outra tragédia sem fim; digamos que a média em 30 anos seja até menor do que essa, que seja de 30 mil e não de 35 mil pessoas mortas no trânsito a cada ano.
Em três décadas nós teríamos quase outro milhão de mortos. Seja pela violência dos assassinatos a sangue frio -como esse milhão contabilizado pelo Instituto Sangari-, ou seja pelos mortos por acidentes, ou homicídios de trânsito, são quase dois milhões de brasileiros. 
Alguma coisa de muito grave se passa em um país quando quase 2 milhões de vidas - a maioria delas de jovens- desaparecem, vítimas de violências múltiplas, num espaço de apenas três décadas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.