Destaques

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Droga pra ficar inteligente



As escolas norte-americanas estão enfrentando problemas com alunos que usam remédios para ir bem nos estudos. A chamada "pílula da inteligência" já foi consumida por 25% dos universitários, segundo o jornal científico "Nature", e o consumo entre adolescentes pressionados por vagas em boas universidades chega a 40%

A situação preocupa as autoridades, que classificam a substância como um estimulante controlado, a mesma categoria da cocaína e da morfina. Os estimulantes, presentes em remédios para pessoas com déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), são vendidos somente com receita médica, mas estariam sendo comercializados por traficantes dentro das escolas.


As pílulas, quando usadas por quem não têm déficit de atenção, fazem com que a pessoa fique acordada por mais de 30 horas, sem perder a capacidade de concentração e memória, o que permite, por exemplo, estudar durante a madrugada, fazer uma prova sem dormir e ainda continuar cheio de energia. No entanto, essas substâncias podem viciar, causar problemas cardíacos, dor de cabeça, alucinações e distúrbios do sono, além de alterações no comportamento, situações ainda mais preocupantes entre seres humanos ainda em formação, como é o caso dos adolescentes. fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.