Destaques

sábado, 25 de agosto de 2012

Polícia prende homem investigado por morte de PM em UPP no Alemão

Da Lua foi preso pela polícia neste sábado (25) no RJ (Foto: Divulgação/ Disque-Denúncia)
Da Lua foi preso em Piabetá, após investigação
da polícia(Foto: Divulgação/ Disque-Denúncia)
Agentes da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) prenderam, neste sábado (25), um homem investigado por suspeita de participar do ataque à UPP Nova Brasília, no Conjunto de Favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio. Na ocasião, a soldado da Polícia Militar Fabiana Aparecida de Souza morreu.
O preso foi identificado pela polícia como Alan Montenegro, conhecido pelo apelido de Da Lua.
A delegada Valéria Aragão, responsável pela Dcod, informou que Da Lua e outros três homens foram apontados pela Polícia Militar como participantes do ataque ocorrido em 23 de julho. No entanto, a polícia ainda investiga a possível participação dele no crime.
Um dos homens apontado pela PM como participante do ataque, Régis Eduardo Batista, foi preso três dias após o crime, no dia 26 de julho. A polícia ainda está a procura de Ilan Sales, o "Capoeira" e Fernando Batista, o "Alemão".
A delegada explicou que Da Lua foi gerente do tráfico de drogas do Morro da Fé, no Conjunto de favelas da Penha, na Zona Norte do Rio. Ele é apontado como um dos principais comparsas do traficante Mica.
Recompensa de R$ 1 mil
Contra Da Lua, há um mandado de prisão expedido pela Justiça pelo crime de tráfico de drogas. O Disque-Denúncia oferecia uma recompensa de R$ 1 mil por informações que levassem à prisão do suspeito.
Da Lua foi preso em uma casa em Piabetá, na Baixada Fluminense, após uma investigação conjunta da Dcod e da Divisão de Homicídios.
Bala atravessou colete de PM
A soldado Fabiana morreu após bala atravessar colete (Foto: Reprodução/ TV Globo)
A soldado Fabiana morreu após bala atravessar
colete (Foto: Reprodução/ TV Globo)
A soldado Fabiana Aparecida de Souza, de 30 anos, foi baleada no peito durante um tiroteio na noite de 23 de julho. A bala de fuzil teria atravessado o colete que ela usava. A PM foi socorrida pelos colegas e chegou a ser levada para um posto médico dentro da própria comunidade.
Fabiana, que estava na polícia havia pouco mais de um ano, era solteira e não tinha filhos. Segundo outros PMs, ela atravessava a rua para ir à padaria em frente, quando foi supreendia pelos criminosos.
O tiroteio que terminou com a morte da soldado durou entre 30 a 40 minutos. No dia seguinte ao ataque, a fachada da UPP Nova Brasília estava com mais de dez marcas de bala. O carro da PM estacionado na porta do prédio teve os vidros das janelas e o para-brisa traseiro destruídos por tiros.
O conjunto de favelas do Alemão foi ocupado pelas Forças de Pacificação, em novembro de 2010. O Exército saiu da região no início de julho deste ano e deixou a segurança sob responsabilidade da PM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.