Destaques

quarta-feira, 19 de março de 2014

Vamos acordar

Até quando alguns policiais militares vão ser tão infantes (infantis) em negligenciar o cenário político social que vivemos e ficar tentando abraçar o mundo com as mãos?
Acho que passou da hora do policial entender que no contexto em que vivemos a polícia tem que apenas aplicar de forma engessada o que diz o artigo 144, § 5º, da Constituição Federal

“Às policias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública”.

Tão somente isso e nada mais, pois vejo policiais errando movidos por um sentimento humanista, querendo executar funções que não são suas. Como bem disse Ronald Coelho em seu blog;
A PM erra os erros dos outros ao fazer o serviço dos outros.

Segue um trecho do texto de Ronald:

"Faltam agentes penitenciários para custodiar presos em hospitais? Chama a PM.

Faltam agentes do Ibama para capturar uma cobra no quintal de casa? Chama a PM.

Não tem Conselho Tutelar na cidade para “conversar” com um menor? Chama a PM.

Não tem equipes de socorristas de plantão na cidade? Chama a Polícia Militar...

E se o preso fugir do hospital? Culpa da PM.

E se a cobra picar a dona de casa? Omissão da PM.

E se o menor for mal tratado pelos policiais? Processo judicial neles!

E se uma mulher baleada cair de um carro não apropriado para socorro?...

Tem muito papagaio repetindo as criticas de uma imprensa sem vínculo com a veracidade dos fatos, uma imprensa que vive do espetáculo e essa gente movida nesse mesmo sentimento, é capaz de filmar uma vida humana sendo arrastada por cerca de 250 metros pensando na lucratividade ao invés de tentar socorre-la.

Acorda PM, não vivemos em uma sociedade que nos trata como heróis, então porque não se comportar como qualquer funcionário público fazendo só o que nos compete, escondidos atrás de todas as burocracias?