Destaques

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Família acusa policial militar de ter matado porteiro dentro de casa durante perseguição em MG

Uma perseguição policial terminou com um inocente morto, no fim da noite desse sábado, no Bairro Ressaca, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte. O porteiro Ronaldo Rodrigues de Souza (foto), de 48 anos, estava tomando banho quando sua casa foi invadida por dois menores que fugiam da polícia. De acordo familiares do porteiro que estavam no imóvel, policiais militares entraram na residência em seguida, efetuaram dois disparos e mataram Ronaldo. Na versão dos policiais envolvidos na ocorrência, houve uma troca de tiros com os menores. 

O sargento, que assumiu ter efetuado um disparo, está preso no 18º Batalhão, onde é lotado, e sua arma apreendida para ser periciada. 

“Nós temos as duas partes: o militar efetuou o disparo e o infrator também. Isso está em fase de apuração”, informou o capitão Célio Araújo, comandante do tático móvel do 18º Batalhão. “Ele (sargento) confirmou que efetuou um disparo em direção ao infrator. Também há possibilidade do disparo efetuado pelo infrator ter atingido o cidadão. Então a gente não pode afirmar nem uma versão, nem a outra”, salientou o capitão. 

Apesar da versão oficial da PM, familiares dos menores envolvidos e do porteiro garantem que não houve troca de tiros. “Eu vi dois bandidos entrando pela porta da cozinha da minha casa, que é de dois andares. Gritei, mãe é bandido! Aí eu e minha mãe descemos a escada e encontramos com a polícia no corredor, que apontou a arma pra mim falando que ia atirar”, detalhou a enteada da vítima, Milena Medina. “Assim que a gente saiu nos escutamos dois disparos”, contou Milena, aos prantos. 

 Um inquérito será instaurado para apurar o caso. A PM informou que os dois adolescentes têm várias passagens pela polícia por crimes como homicídio e assaltos.
Fonte: Rádio Itatiaia