Destaques

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Um tributo aos policiais do Brasil

Editorial do Fantástico (14/05/2006), narrado pelo jornalista Pedro Bial

Eles são a linha de frente da democracia. Para além de manter a ordem, sua função é garantir nossa liberdade.

Há coisas que consideramos certas, como o ar que se respira, e que só valorizamos quando as perdemos: como a saúde, a liberdade, a vida.

É fácil criticá-los, são eles que morrem por nós. Num fim de semana, trinta e cinco se foram.
Dia das mães, dia do enterro dos filhos.

Policiais civis... Militares... Um bombeiro!

O nome oficial é agente do estado, mas desde crianças, aprendemos a chamá-lo de "seu guarda".

Guardam. Vivem, e morrem, para nos guardar.

Quem sabe, esta tragédia não seja a oportunidade que nos faltava para refletir sobre esses homens e mulheres, que por tão pouco soldo, protegem algo muito frágil, delicado: a construção do Brasil.

Sua principal arma não é de fogo, nem branca, é letra, palavra: o nome da lei.

Diretório de Blogs