Destaques

sexta-feira, 4 de julho de 2014

A revista em quadrinhos do Coronel Telhada

 Divulgação
A carreira policial de Paulo Telhada, vereador e coronel da reserva da PM, virou história em quadrinhos. A HQ “Coronel Telhada em Quadrinhos” começou a chegar na última sexta-feira nas bancas de São Paulo e do Rio para, segundo o policial, “atender os fãs da Polícia Militar”.
Telhada ganhou notoriedade por seu trabalho à frente da Rota (tropa de elite da PM) e por emitir opiniões como “bandido, para mim, é para a cadeia ou para o saco mesmo. Ele escolhe o caminho” – o que lhe rendeu críticas de movimentos de defesa dos direitos humanos. A publicação, com 32 páginas, custa R$ 5. Segundo Telhada, foram impressos 10 mil exemplares.
De acordo com a assessoria do coronel, parlamentar pelo PSDB que e almeja uma vaga na Assembleia, a ideia é mostrar a vida de um “herói nacional que combate o crime nos rigores da lei”. A história foi revisada por policiais e vai mostrar situações que enfrentam diariamente os PMs nas ruas. Todos os casos são situações reais “estreladas pelo Coronel Telhada, o mais famoso comandante que a Rota já teve”, diz nota enviada pela assessoria do parlamentar.
Telhada diz que a ideia surgiu entre amigos e funcionários dele que insistiam para que o coronel escrevesse uma biografia. Sem tempo para escrever, ele achou a ideia da revista uma alternativa para mostrar o trabalho dos policiais nas ruas. “Minha ideia nunca foi me valorizar. O que está na revista é o que todos os policiais fazem diariamente para defender a sociedade, não sou melhor que nenhum deles”, diz.
Segundo o coronel, o material desmitifica a atuação da PM. “Infelizmente existe um mito de que ninguém gosta da polícia, mas eu não acredito nisso. Criança gosta de história policial e os adultos também. Prova disso foi a aceitação nos cinemas com o personagem capitão Nascimento com os filmes ‘Tropa de Elite’’, afirma.

TAGS