Destaques

terça-feira, 22 de julho de 2014

Os 35 países com maior poder militar

Juntos, os cinco países com maior poder militar gastam quase um trilhão de dólares (mais de 2 trilhões de reais) por ano com seus exércitos. Homens, tanques, jatos, ogivas nucleares, porta-aviões, submarinos e tudo o que isso engloba (treinamento, manutenção, manobras políticas e territoriais e traslados etc etc etc).
O site Business Insider, junto com informações do Global Firepower Index, criou um infográfico com informações sobre as 35 maiores potências militares do mundo. Em tempos de novo conflito entre Israel e palestinos, Ucrânia e Rússia, os constantes arranca-rabos no Oriente Médio e as intensas vontades de capitanear o mundo de Estados Unidos, China e Reino Unido, temos aqui dados bem importantes sobre como o mundo está dividido em armas.
Dos 7 bilhões de habitantes da Terra, quase 3 bi estão nessa lista.
Os Estados Unidos lideram com o maior número de gastos e de frota aérea e porta-aviões. A Rússia possui mais tanques e mísseis nucleares. A China tem mais homens a disposição e a Coréia do Norte é o país com mais submarinos (78).
No lugar de número 14 está o Brasil, com quase 107 milhões de contingente, quase 500 tanques e sem nenhuma arma nuclear. lembrando que, nessa lista, não foi levado em consideração a qualidade de equipamento e treinamento dos exércitos citados.
(para ver maior, basta clicar na imagem)
(para ver maior, basta clicar na imagem)
Na contra partida, Temos alguns Estados que não possuem forças armadas, a exemplo da Costa Rica, que ficou em bastante evidência com sua participação na Copa do Mundo desse ano.

Países sem forças armadas

A grande maioria dos países do mundo dispõe de forças armadas. No entanto há algumas exceções:
Andorra - a defesa é fornecida em conjunto pela França e Espanha.
Costa Rica - a Constituição proíbe forças armadas, mas a Guarda Nacional tem unidades de combate.
Haiti - os rebeldes pedem seu restabelecimento. A polícia nacional mantém algumas unidades de combate.
Islândia - defesa a cargo dos EUA que mantêm, para isso, a Icelandic Defense Force.
Kiribati - defesa com assistência da Austrália e Nova Zelândia.
Liechtenstein - defesa e diplomacia a cargo da Suíça.
Mônaco - defesa a cargo da França.
Nauru - defesa a cargo da Austrália.
Palau - defesa a cargo dos Estados Unidos da América.
Panamá - A polícia nacional panamenha tem unidades de combate, com defesa garantida pelos EUA por tratado.
São Marino - defesa a cargo da Itália. Apesar de São Marino dispor, formalmente, de várias forças militares, elas apenas desempenham funções cerimoniais e policiais.
Vaticano - defesa a cargo da Itália. A Guarda Suíça, apesar de ser, formalmente, uma força militar é apenas cerimonial, agindo como a força de proteção pessoal do Papa e do Palácio Apostólico, todavia a Cidade do Vaticano, ostenta também a Corpo della Gendarmeria dello Stato della Città del Vaticano, que é responsavél pela ação policial, propriamente dita.