Destaques

sábado, 16 de agosto de 2014

Os melhores Fuzis de Assalto do Mundo

Um fuzil de assalto como conhecido no Brasil ou espingarda de assalto como conhecido em Portugal é uma arma leve dos modernos exércitos mundiais que se tornou o armamento de dotação individual dos combatentes de infantaria. Este tipo de arma constitui uma subvariante da espingarda automática ou fuzil automático que se caracteriza por utilizar uma munição menos potente.

Desenvolvimento

Nascido no final da Segunda Guerra Mundial, o fuzil de assalto, teve uma grande evolução, adaptando-se aos mais diversos usos na guerra moderna. Ele surgiu quando estrategistas militares perceberam que, diferentemente da Primeira Guerra Mundial, que ocorreu com exércitos inteiros em linhas estáticas, combates em trincheiras e com disparos a longas distâncias, a Segunda Guerra não permitia o estacionamento de tropas devido à grande mobilidade dos veículos blindados apoiado pela artilharia e infantaria.
Foi nessa conjuntura que surgiu o fuzil de assalto, o infante combatia agora a curtas distancias, sendo que muitas vezes o embate ocorria em áreas urbanas, um campo de batalha que não havia sido explorado até o momento; diferentemente do combate em campo aberto, não havia o apoio instantâneo do fogo das metralhadoras, as quais necessitavam ser montadas e o encontro com o inimigo era inesperado. Esse panorama fez com que armas fossem modificadas para se adaptarem a essa nova realidade, as metralhadoras são um exemplo dessa mudança: receberam bipés e coronhas, ficando os tripés e outros reparos para outras situações; também nesse novo cenário de guerra as submetralhadoras tornaram-se uma das melhores armas a serem empregadas devido ao seu poder de fogo, grande capacidade de munição e portabilidade, tendo como destaques a alemã MP-40, americana Thompson e a inglesa Sten; também se destacaram armas como a Carabina M1 e os fuzis BAR e M1 Garand que possuíam um maior poder de fogo e velocidade de tiro quando comparadas com os fuzis de repetição. Contudo essas armas ainda não eram consideradas ideais: os fuzis eram grandes e pesados e seu uso nas áreas urbanas e de selva era difícil, já as submetralhadoras tinham uma boa portabilidade, mas calçavam uma munição que não possuía um poder de parada apropriado nem eram adequadas para combates a médias distâncias. Foi justamente para suprir as qualidades dessas armas que nasceu o fuzil de assalto, inicialmente o FG-42 (FG de Fallschirmjägergewehr - Fuzil para pára-quedistas) o qual tinha uma boa portabilidade, porém o calibre 7,92x57mm tornava o tiro automático preciso quase impraticável. Ele foi seguido pelos MP-43 e MP-44 (MP de MachinenPistole -- Submetralhadora) tendo finalmente surgido o Stg. 44 ("Stg." de SturmGewehr -- Fuzil de Assalto), o qual e considerado de fato o primeiro fuzil de assalto, pois tinha como características as portabilidade, grande capacidade de munição, funcionamento automático e semi-automático e um calibre intermediário, o 7,92x33mm.
Em fins de 1944, os alemães apareceram no campo de batalhas com uma surpresa: o casamento entre o poder e a precisão do rifle com o fogo automático da metralhadora, o Sturmgewehr 44 (literalmente, "o rifle da tempestade", ou, no jargão militar, "o rifle para invasões"), que ficou conhecido entre os aliados como Assault Rifle (fuzil de assalto ou rifle de assalto), nome usado até hoje.
Os fuzis de assalto representam um salto enorme no campo bélico. Essas metralhadoras portáteis podem ser usadas como metralhadoras de mão a curtas distâncias e como fuzis poderosos a longa distância. São armas tão poderosas, que hoje são a arma principal de todos os exércitos do mundo.
Em 1947, com a invenção do fuzil russo Avtomat Kalashnikov AK-47, o fuzil de assalto mais famoso do mundo e uma das armas portáteis mais bem sucedidas entre as já produzidas,[1] é usado até hoje graças ao seu baixo preço e sua devastadora performance. Os EUA, para não ficarem em desvantagem em relação à União Soviética, criaram então seus próprios fuzis de assalto. O primeiro deles foi o Colt AR-10. A este, seguiu-se o revolucionário Colt AR-15, a primeira arma a substituir o ferro e a madeira por alumínio e plástico.
Seguiram-se outros tipos de fuzis de assalto, como o estadunidense M16, o russo AKS-74U, o alemão HK G3, o austríaco Steyr AUG, o israelense IMI Galil e o brasileiro Imbel MD-2. Alguns fuzis se especializaram, como fuzil de precisão Barret M82, e o fuzil-metralhador francês FAMAS 5,56 mm.