Destaques

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Dupla que atirou em policial civil na Grande BH já tem mandado de prisão em aberto


Jovem baleado tem tatuagem de palhaço que é na linguagem criminosa significa que ele é matador de policiais
Os dois homens que atiraram no investigador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) no Bairro Tijuco, em Contagem, na Grande BH, têm mandados de prisão em aberto. Os criminosos surpreenderam o policial durante uma operação da Delegacia Homicídio Noroeste da Polícia Civil. Um dos criminosos foi ferido e outro preso. O crime aconteceu horas depois do assassinato da investigadora Maria Regina de Almeida, de 47 anos, durante um assalto na capital. Colegas dos policiais prometem uma paralisação na próxima quinta-feira em protesto por causa das duas ocorrências.

Um equipe da delegacia de homicídios Noroeste fazia levantamentos no bairro na tentativa de cumprir um mandado de prisão contra Peterson Mateus Silva Bastos, de 18 anos. Quando estavam na Rua Maria Bittencourt, os policiais avistaram uma mulher que seria namorada de um traficante do Bairro Santa Terezinha. Ela foi abordada quando entrava em uma casa. Os policiais tentaram entrar no imóvel e foram surpreendidos por homens que estavam lá dentro.

Houve troca de tiros e o investigador Paulo César Oliveira Mendes acabou atingido no rosto. Ele foi socorrido por colegas e encaminhado para o Hospital João XXIII. Peterson foi ferido no pescoço e no braço por projéteis e socorrido por uma viatura da Polícia Civil. Devido à gravidade do ferimento, a ambulância foi interceptada e o homem foi levado de helicóptero para o João XXIII.


Na casa, também estava Wagner Junior Pereira Batista, o Gambá. Ele acabou preso pelos policiais. No imóvel foi encontrada uma pedra bruta de crack e um revólver calibre 38. Os dois homens já têm longa ficha criminal e já tinham mandado de prisão em aberto. “São homens perigosos apesar da pouca idade. Peterson, inclusive, tem uma tatuagem com o número 121, que é alusão ao artigo 121 do código penal que representa o homicídio”, afirmou o delegado Wagner Pinto, chefe do DHPP. Jovem baleado também tem tatuagem de palhaço no braço que, na linguagem criminosa, significa que ele é matador de policiais

Os dois serão indiciados por tentativa de homicídio, tráfico de drogas e porte ilegal de arma. Durante o tiroteio, a mulher do traficante do Bairro Santa Terezinha que foi vista próxima a casa conseguiu fugir. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.