Destaques

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Policial simula acidente em Sumaré para pedir colega em casamento

Não houve traje de gala, tampouco jantar romântico ou cenário paradisíaco. Foi vestido de farda e coturno, sem contar as algemas a tiracolo, que o policial militar Rick da Silva pediu a namorada Larissa Sanches em casamento na noite de quinta-feira (19), em Sumaré (SP). Com a ajuda de colegas de trabalho, a comunicação de um falso acidente tornou-se surpresa para a noiva, na Praça Manoel de Vasconcellos, e um vídeo gravado durante a entrega das alianças ganhou repercussão e foi compartilhado por ao menos 32,2 mil na rede Facebook.

"Na hora eu comecei a chorar, não esperava", conta Larissa ao G1. Ela lembra que, antes do pedido de casamento, sonhou com cena semelhante e comentou apenas com alguns companheiros da equipe, sem que o noivo soubesse. Para ir ao local, Silva e os colegas combinaram de ligar para ela e informar suposto acidente, envolvendo um carro da PM e motorista que estaria nervoso. "Como sou comandante de uma das equipes, quem poderia administrar o caso era eu. Aí deu nisso", brinca ao comentar a cena que dura quase três minutos e mostra o noivo, ajoelhado, antes de receber o "sim" e aplausos dos amigos. Segundo ela, a surpresa ocorreu quando não havia ocorrências em andamento.
Policial se ajoelha para pedir colega em casamento, em Sumaré (Foto: Arquivo Pessoal /  Willen Rick)
Rick se ajoelha para pedir Larissa em casamento,
em Sumaré (Foto: Arquivo Pessoal / Rick da Silva)
Sonho antecipado
A policial, de 22 anos, relata que conheceu o noivo, de 27, em fevereiro. Ela diz que o rapaz já havia mencionado sobre a intenção de fazer o pedido e adianta que o casal cogita antecipar a união oficial, por enquanto prevista para início de 2016. "O pedido juntou o nosso amor, a ligação com o serviço e oficializou o que temos, porque já moramos juntos", afirma Larissa.

Ao mencionar que o relacionamento teve início após ela convidar o noivo para uma festa, a policial militar admite que fica mais preocupada com o companheiro quando ele está em serviço, por causa dos riscos.

"A gente é profissional. O horário dele é diferente e a mulher sempre fica mais preocupada". Para ela, a repercussão foi inesperada após ter publicado o vídeo na página pessoal com a mensagem "Ele pediu e eu aceitei". "Ganhamos muitos presentes, convites. Se continuar assim, casamos logo", brinca. O casal atua pelo 48º Batalhão da PM, responsável por atender ocorrências nas cidades de Hortolândia, Monte Mor e Nova Odessa.

Sem prejuízos
Em nota, a assessoria da Polícia Militar informou que o atendimento à população é a prioridade da corporação. "Não há uma orientação específica sobre esse tipo de situação e não houve qualquer prejuízo ao atendimento a comunidade nesse caso", diz o texto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.