Destaques

sábado, 13 de setembro de 2014

"Sociedade não dá a mínima para a morte de um PM", desabafa comandante das UPPs em enterro de colega

O corpo do comandante da UPP Nova Brasília, Uanderson Manoel da Silva, foi enterrado no fim da tarde desta sexta-feira (12) no cemitério Jardim da Saudade,  zona oeste do Rio. Ele morreu ao ser atingido no peito durante um tiroteio no Complexo do Alemão, na zona norte, na tarde de quinta-feira (12).
Durante o sepultamento, o policial Frederico Caldas, comandante da Coordenadoria de Polícia Pacificadora, fez um desabafo:
—Essa coragem do capitão Uanderson faz com que a gente se contagie e não desista de maneira alguma do enfrentamento. Ficamos indignados. É uma pena que a sociedade não dê a mínima para a morte de um policial, não esteja nem aí. Mas, mesmo com isso, nós vamos continuar lutando. A morte dele não pode ser em vão.
Uanderson da Silva era casado, tinha uma filha e estava na Polícia Militar havia 11 anos. Ele trabalhou nos batalhões de Bangu, Duque de Caxias e Irajá, antes de assumir o comando da UPP Nova Brasília, três meses atrás. 
O capitão foi o sétimo PM de UPP morto neste ano, mais do que o dobro do ano passado, quando houve três mortes de policiais em favelas pacificadas. Em 2012, foram registradas quatro mortes de PMs em áreas com UPP. Antes disso, nenhum agente havia morrido nas comunidades desde que as Unidades de Polícia Pacificadora foram implantadas, em 2008. Relembre os casos.
fonte R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.