Destaques

sábado, 28 de fevereiro de 2015

A PMMG E O NOVO CONCURSO PÚBLICO


Hoje o Comandante Geral da PM (26/02), Coronel Bianchini anunciou que o Governador Fernando Pimentel autorizou a abertura de concurso público para novos três mil soldados para este ano, e nove mil nos próximos três anos. Um dos maiores concursos da Policia Militar.

Muitos militares desejam ser transferidos para perto de suas famílias e não conseguem por causa de uma única justificativa: “não posso te liberar porque não há efetivo”. Muitos militares não conseguem ter uma escala de folga decente por causa da “falta de efetivo”. Só em 2015 devemos perder mais de 1200 militares que irão para reserva o que piorará ainda mais a falta de efetivo.

A noticia de hoje deve ser comemorada, pois trará alivio na carga de trabalho de nossos colegas. Em alguns destacamentos alguns colegas chegam a trabalhar 16 horas por dia e na folga não conseguem sequer sair da cidade pois esta ficaria sem ninguém por falta de efetivo.

Acontece que alguns poucos colegas desprezam esta grande conquista e ao invés de comemorar querem polemizar o fato de que metade deste concurso tende a ter exigência de nível médio e metade de curso superior.

Na afã de reclamar esquecem que existe uma legislação em vigor que DETERMINA que a partir de agosto TODOS os concursos para PM DEVEM exigir curso superior. Segundo o texto da lei, nesta data todos os concurso públicos na PM devem exigir terceiro grau para seu ingresso. 

Logo, o edital que sair até agosto poderá ainda exigir curso médio (2º grau), depois de agosto conforme exigência da lei obrigatoriamente exigirá nível superior. Obviamente deverão 3 mil policiais divididos em dois concursos.

Ademais, na Polícia Civil, esta exigência já existe há anos. E uma das reivindicações da co-irmã, de ganhar melhor que a Polícia Militar, é exatamente de que na PM, o concurso de ingresso é de nível médio (2º grau) e na Polícia Civil o concurso é de nível superior (3º grau).

Não custa pensar então que a PM tem duas opções, ou exige imediatamente curso superior para todos as 3 mil vagas, ou tenta ainda um ultimo concurso exigindo curso médio.

O que muda para nós que já estamos na caserna? Absolutamente nada. Mesmo que existam colegas na ativa que ainda não tem ensino médio. Eu digo o que muda. Quanto mais alto for o nível de escolaridade exigido mais podemos exigir como remuneração.  

Em uma época de crise, de falta de dinheiro em muitas áreas, uma conquista dessa devia ser amplamente comemorada. Muitos colegas estão adoecendo por excesso de trabalho.

Ainda, essa regra só se aplica a quem vai entrar na PM, e não a quem já está nela. Quem deseja fazer parte de nossa corporação deve atender os pré-requisitos do edital.

Esquecem ainda que muita gente tem usado a PM como trampolim, entram, com segundo grau, se formam e vão embora para outras carreiras. Com a exigência do curso superior isso acaba.

A ideia de ter a metade deste número com exigência do curso médio era justamente agilizar o concurso, talvez dividindo-o em dois concursos, um até agosto com a exigência do curso médio e outro depois de agosto com exigência do curso superior, para agilizar a solução da falta de efetivo e diminuir o nosso sofrimento.

Em breve esperamos também o anúncio de 800 vagas para o Corpo e Bombeiros.

Os nossos parabéns ao Comandante Geral pela luta e nosso agradecimento ao Governador pela autorização. Nossa classe agradece.

Deputado CABO JÚLIO
Vice-Líder do Governo

Read more at http://blogdocabojulio.blogspot.com/2015/02/a-policia-militar-e-o-novo-concurso.html#XmpGGix9k7moglFM.99

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.