Destaques

sábado, 4 de abril de 2015

Vídeo mostra assalto em estação do Move de BH

O vídeo mostra que os dois suspeitos chegaram correndo à estação e teriam perdido o ônibus do BRT. Em seguida, eles abordam a vítima. Um dos agressores saca uma faca da bolsa, vai em direção ao homem e leva o telefone celular da vítima, que também aguardava na estação. Na tentativa de se livrar do assaltante, o rapaz ficou ferido no peito.

Durante a ação, uma testemunha, assustada, entrou em um ônibus que parou no terminal. Outra passageira prestou socorro ao homem, depois que os assaltantes fugiram. 

De acordo com o Setra-BH, as primeiras informações são de que o local do crime é a estação do Move UFMG, na Avenida Antônio Carlos. A Polícia Militar informou que não foi feito um boletim de ocorrência a respeito do caso.

Questionada sobre a segurança nas estações Move, a BHTrans informou, por meio de nota, que a licitação para a vigilância armada noturna nos terminais foi cancelada. Os motivos são dúvidas em cláusulas do edital e cumprimento de determinação judicial.

Um novo texto de edital e um termo de referência serão elaborados e lançados com as adaptações necessárias. A medida vai ocorrer se um convênio da Prefeitura de BH com o governo de Minas para utilizar policiais militares reformados na vigilância das estações não for efetivado.
veja o vídeo:

Vítima de facada em estação do Move faz desabafo


Aliviado por ter recebido alta na tarde de ontem do Hospital Odilon Behrens, na Região Noroeste de Belo Horizonte, e poder voltar para casa recuperado depois de ter sido esfaqueado em uma estação do Move, na Avenida Antônio Carlos, o cuidador de idosos Breno Lincoln Batista, de 30 anos, não esconde a raiva diante da agressividade da dupla de assaltantes da qual foi vítima, na última segunda-feira. Ele foi atingido por um golpe de facão, teve o pulmão perfurado e uma costela quebrada, ao ter o celular arrancado no dia do crime. Precisou passar por cirugia para colocação de um dreno e ficou cinco dias internado, recuperando-se. Ao deixar a unidade hospitalar ontem, ele falou sobre a agressão. Disse estar feliz por tudo ter terminado bem, mas confessou ter medo de voltar a usar o transporte coletivo. A vítima, que mora em Santa Luzia e usa o BRT todos os dias para trabalhar, também cobrou proteção das autoridades

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.