Destaques

domingo, 21 de fevereiro de 2016

BRASIL:inadmissível um policial se aposentar com 49 anos de idade!

CEL Aleucy Bento
Rio de Janeiro ·


Tanto se fala na mídia (tendenciosa) que é inadmissível um policial se aposentar com 49 anos de idade! Mas não se fala que é inadmissível um policial ter suas férias suspensas para proporcionar o bem estar da comunidade, não se fala que é inadmissível um policial não ter FGTS, não se fala que é inadmissível um policial NÃO receber por horas extras trabalhadas, não se fala que é inadmissível um policial trabalhar 30 anos sem ter direito a passar um réveillon, Natal, Semana Santa, carnaval e outros, com a família e não se fala da carga de stress que esse policial vai carregar  durante esses 30 anos arriscando sua vida toda vez que sair na rua fardado.

E para para argumentos tipo "vc sabia que seria assim", "foi sua escolha" e similares, lembre-se: Também sabíamos dos DIREITOS que compensavam essa escolha!
Vamos a uma conta básica! Um civil trabalha 40 horas semanais, que somadas chegam a 160 horas mensais, que durante um ano chega 1.920 e que ao longo de seus 35 anos de serviço, alcançam o total de 67.200 horas.

Agora vamos a carga horária de um policial militar. Trabalha 48 horas semanais, onde muitas das vezes chega a 72 horas, que somadas chegam a 216 horas mensais, que durante um ano chega 2.592 e que ao longo de seus 30 anos de serviço, alcançam o total de 77.760 horas. Agora soma-se ainda os extras de réveillon, carnaval, eleições, copa do mundo, olimpíadas, Panamericano, RIO +20, etc...

Durante os 30 anos de serviços, já se ultrapassa em 10.000 horas se comparados ao civil, imaginem se for para 35 anos, serão 90.720 horas trabalhadas. Porque será que ninguém fala sobre essa carga horária que é ultrapassada e não é remunerada?!

Querem imputar ao militar o ônus de um servidor civil, porém o bônus desse mesmo servidor, não!
Portanto, informe-se antes de aplaudir e repetir discursos totalmente descabidos que beiram a absoluta falta de responsabilidade e senso de justiça."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.