Destaques

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

VEJAM: revólver impresso em 3D dispara até 8 vezes entre recargas

Armas feitas em impressoras 3D são uma polêmica dos últimos anos que ganharam um novo capítulo recente. O estudante de engenharia mecânica James Patrick criou o PM522 Washbear, um revólver-pimenteiro que é capaz de disparar oito vezes antes de precisar de recarga. Trata-se da primeira arma de repetição feita em uma impressora 3D para consumidores.

Ele é praticamente todo feito na impressora 3D, exceto uma mola, hastes metálicas e a agulha de disparo, que servem como metais detectáveis, uma exigência governamental para que a arma seja perceptível por mecanismos de segurança. De resto, ela é feita de plástico ABS e nylon resistente.
O item que originou a polêmica das armas feitas com impressora 3D foi a Liberator, criada por Cody Wilson. No entanto, ela era muito simples, permitindo apenas um único disparo antes de uma nova recarga, além da fragilidade. O projeto de Patrick permite a remoção do cilindro que pode abrigar 6 ou 8 cartuchos, permitindo ao usuário trocar o cilindro sem precisar fazer modificações na arma.
Quando está tudo no lugar, um elástico é ligado ao gatilho para fazer o cilindro se mover e ser alinhado para o disparo. Puxar o gatilho permite que a agulha dispare a munição; em seguida, ao retornar o gatilho à posição inicial, o cilindro fica levemente desalinhado propositalmente. Trata-se de uma medida de segurança para impedir disparos acidentais.
Como dito anteriormente, Patrick adicionou metal detectável ao projeto para se adequar às regulações de armas nos Estados Unidos. Resta saber se isso será o bastante para que o governo permita sua ideia ou se as autoridades irão caçar o seu projeto online. Foi o que aconteceu com a Liberator em 2013: o projeto foi considerado irregular e as plantas proibidas. Isso não impediu, claro, que o projeto fosse divulgado no submundo da internet, como sites de pirataria.
Fonte: Olhar Digital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.