Destaques

sábado, 22 de abril de 2017

Transtornos mentais são a terceira causa de afastamento do trabalho


Dores, formigamento, aperto no peito, mal estar e desânimo podem ser sintomas de depressão, ansiedade ou estresse. A maioria das pessoas não percebe que está doente.

O estresse físico e emocional atinge significativa parcela dos Policiais Militares que trabalham no policiamento ostensivo. 

Tudo começou com um mal-estar. Depois, a batida acelerada do coração se tornou algo frequente na vida do policial militar José (nome fictício). Veio ainda uma dor de cabeça crônica. Uma sensação de desespero o atormentava, “uma vontade de desistir de tudo”. E o medo de morrer nunca mais o abandonou. José viveu um drama silencioso durante anos. Com uma década de vida militar, não tinha coragem para pedir ajuda. Aprendeu, no curso de formação de praças, que um policial deve suportar tudo. Contra sua vontade, foi encaminhado por um médico do Hospital Central da PM para o setor de psiquiatria. Resistiu até o dia em que seu próprio comandante atendeu ao pedido da equipe médica. Foram sete meses em tratamento, com consultas frequentes a um psicólogo militar, tomando remédios para depressão e controle de agressividade, como Rivotril e Donarem. Há um ano, José voltou ao trabalho, mas em funções administrativas. Foi proibido de portar arma e, por isso, perdeu sua segunda renda, os “bicos” que fazia como segurança.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.