Destaques

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

CAMPANHA: SETEMBRO AMARELO



Um problema de saúde pública que vive atualmente a situação do tabu e do aumento de suas vítimas é o suicídio. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais de que uma pessoa próxima está com ideias suicidas.
A esperança é o fato de que, segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. É necessário a pessoa buscar ajuda e atenção de quem está à sua volta.

Dê ouvidos aos alarmes e avisos verbais

A dor é tão profunda e o sofrimento tão sufocador, que parece que não há outra saída. Em um ato de desespero e pedido de ajuda, a pessoa que está pensando em tirar a sua própria vida grita por socorro. Ela geralmente fala: “não aguento mais”, “quero sumir”, “quero morrer”, “minha vida não vale a pena”, “não aguento essa dor”, “você vai sentir a minha falta quando eu for”, “vocês vão ficar melhores sem mim”, “era melhor não ter nascido” e outras falas que tem o sentido parecido.
Muitas pessoas não dão ouvidos a esses comentários e acham que são formas de chamar atenção. Já ouvi muito comentários como: “quem quer se matar, se mata, não fica avisando”. Este é um dos maiores absurdos, como citado anteriormente, para cada morte há entre 10 e 20 tentativas. Quem tenta se matar uma vez, pode tentar se matar de novo.
Preste atenção quando ouvir alguém falar assim. Ela pode está querendo te dizer algo e estar com um sofrimento profundo, se sentindo limitada. 


"NFELIZMENTE É UMA TRISTE REALIDADE DOS AGENTES DE SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL"


Como ajudar alguém que pensa em suicídio? 

O primeiro passo é conversar com a pessoa que possui pensamentos suicidas.  É importante ter a predisposição a escutarsem julgar suas ações ou pensamentos. Um dos caminhos mais importantes para conseguir fazer isso é transmitir à pessoa que entendemos suas emoções e que parecem lógicas no momento em que se se encontra. É importante que a pessoa mantenha o apoio social, embora insista em se isolar.
Outra recomendação muito importante é que jamais deve-se desafiar a pessoa que está pensando em tirar sua vida, pois isto só potencializaria o desejo de fazê-lo. O fato de uma pessoa ter dito que ia se matar e não tê-lo feito não significa que não tenha coragem e que não irá fazê-lo. Se a reprimirmos ou não acreditarmos nela, daremos mais um motivo para que ela o faça.
Obviamente, buscar ajuda profissional é essencial, pois psiquiatras e psicólogos podem dar o apoio do qual a pessoa com tendências suicidas necessita urgentemente para encarar seus problemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião acerca da publicação acima.